Sinpol busca apoio de ex-presidente da ALMS, para alterar PEC da Previdência

Sinpol busca apoio de ex-presidente da ALMS, para alterar PEC da Previdência

COMPARTILHAR
Gian Carlo, presidente do Sinpol, quer a união da categoria contra maldades.

A Polícia Civil através de seu sindicato, o Sinpol está se mobilizando na tentativa de evitar que a categoria venha a ser prejudicada com a PEC da Previdência. Na mobilização, nesta quinta-feira (28), o diretor trabalhista do Sinpol, Tony Messias; o diretor trabalhista adjunto, Alexandre Barbosa; e o advogado José Mello, se reuniram com o ex-deputado Junior Mochi para conversar sobre a PEC da Previdência Estadual.

Conforme divulgação pela imprensa na terça-feira (26), o Governo do Estado enviou para a Assembleia Legislativa, o texto que altera a previdência dos servidores em Mato Grosso do Sul. O líder do governo, deputado Barbosinha, chegou a afirmar que, em relação ao que foi aprovado no Congresso Federal, não houve mudança sequer de “uma vírgula”.

Porém na quarta-feira (27), os diretores do Sinpol se reuniram na sede do sindicato para analisar detalhadamente o texto e notaram algumas diferenças. “Encontramos incoerências no texto estadual com relação ao que foi aprovado na PEC federal. Dessa forma, buscamos o apoio do Junior Mochi para intermediar essa situação com o Governo. O Sinpol pede que o texto estadual seja no mínimo igual ao federal e não prejudique ainda mais os policiais civis”, declarou Tony Messias.

Assembleia Extraordinária

Paralelamente, o Sinpol convoca a categoria para uma Assembleia Geral Extraordinária para o próximo dia 4 de dezembro, quarta-feira, às 11h, na sede do sindicato. “Vamos esclarecer aos filiados quais são as mudanças pretendidas com a PEC e quais serão os impactos em nossa carreira. Precisamos nos unir e, se for o caso, deliberar ações para resguardar os direitos dos policiais civis”, declarou Giancarlo Miranda, presidente do Sinpol.