Termina levantamentos em local da queda de helicóptero em fazenda

Termina levantamentos em local da queda de helicóptero em fazenda

COMPARTILHAR
Destruição.

Já estão no Instituto Médico Legal – IML de Ponta Porã, os corpos dos dois ocupantes do helicóptero R-66 que caiu hoje em uma fazenda entre Ponta Porã e Dourados. Carbonizadas, pode haver dificuldade de identificação das vítimas, embora em ambos se consiga definir pequenos detalhes tatuados que podem colaborar para reconhecimento e identificação.

No peito de uma das vítimas existe uma tatuagem com a inscrição “Salmo 63”. Já no segundo corpo, que por dedução pode ser do piloto, existe tatuagens quase ilegíveis, mas sendo possível definir palavras como “amor” e também “gratidão”.

Os levantamentos realizados no local do acidente por equipe de policiais e peritos do DRACCO liderados pela delegada Ana Cláudia Medina terminaram agora pouco com o encaminhamento dos corpos, recolhimento de escombros de peças e instrumentos para perícia e a carga de cocaína que era transportada na aeronave e está sendo encaminhada para o Departamento responsável pela ocorrência e apuração do sinistro, assim como a remoção dos destroços da aeronave.

Consta que já existiria a identificação de um dos mortos, situação ainda tratada pela polícia como possibilidade que depende de confirmação. Paralelamente o setor de necropsia do IML de Ponta Porã, disponibiliza o telefone funcional (67) 9 9617-4579 (Aníbal) para informações que auxiliem na identificação.

O acidente

O acidente foi constatado no começo da tarde desta quarta-feira (20), por funcionários da fazenda que trabalhavam na extensa área de plantio de sementes, os quais acionaram as autoridades. Uma equipe do BPMChoque de Campo Grande que trabalha na região, foi a primeira a chegar no local e adotar as primeiras providências, assim como equipe da GCMFron.