Traficante baleado em confronto na fronteira, usava nome falso e era procurado

Traficante baleado em confronto na fronteira, usava nome falso e era procurado

COMPARTILHAR
Camila, chefa de "Japa", foi presa em Dourados quando fugiria em avião.

Antônio Coca

A Polícia Civil, através da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira, apurou que o indivíduo que gerenciava entreposto localizado em Ponta Porã, onde na semana passada foram apreendidas 7 toneladas de maconha, ao ser preso apresentou documento falso, inclusive sendo internado.

No último dia 8 durante incursão em um entreposto de drogas localizado em Ponta Porã um dos elementos encontrados no galpão sacou arma de fogo contra os policiais, sendo prontamente repelido, atingido com um disparo e imediatamente socorrido.

Com ele foi apreendido um revólver calibre 38. Quando era encaminhado ao hospital o indivíduo apresentou documentos, os quais, ao serem pesquisados, apontaram a inexistência de antecedentes criminais. Ocorre que na última sexta-feira a DEFRON apurou que o homem apontado como gerente de uma associação para o tráfico, havia apresentado documentação falsa.

Foi constatado que ele, conhecido no submundo do crime como “Japa”, trata-se de Paulo Jovanis de Souza Paula, com extensa ficha criminal, possuindo contra si dois mandados de Prisão Preventiva, em aberto, ambos pela prática de tráfico de drogas.

Com a descoberta, foram cumpridos os mandados de prisão contra “Japa”, que também responderá pelo crime de uso de documento falso. Ele segue internado em um hospital de Ponta Porã, e obter alta será transferido para o presídio.