Traficante compra maconha e receberia pedaços de pau em forma de tabletes

Traficante compra maconha e receberia pedaços de pau em forma de tabletes

COMPARTILHAR
Pedaços de pau em forma de tabletes.

Equipe do Canil Batalhão de Choque   da Polícia Militar em fiscalização a veículos e pessoas na saída norte de Campo Grande utilizando o Cão de faro de drogas, ao interceptar bagagem com maconha, flagrou a prática de golpe do traficante fornecedor ao colega comprador. A descoberta ocorreu com abordagem a uma van do transporte de passageiros entre Campo Grande e Chapadão do Sul.

Na vistoria, o Cão de faro indicou a presença de odor de droga em uma bagagem vermelha sendo identificada a passageira, uma adolescente de 17 anos com a responsável pela mala. Com acompanhamento da responsável a mala foi aberta e constatada a existência de diversos tabletes de substância aparente de droga. Com a descoberta, foi apurado ainda em uma outra bagagem da passageira outros tabletes semelhantes.

Natural de Fortaleza, Ceará, a adolescente disse aos policiais ter sido contratada por uma mulher desconhecida para buscar droga em Campo Grande. Contou ainda que chegou na Capital a cerca de dois dias e desde então permaneceu em uma residência que não sabe onde fica.

Nesta quarta-feira saiu do local para embarcar na van e seguir para Fortaleza aguardando contatos detalhando a entrega da droga, quando receberia R$ 2 mil Pelo transporte.

Golpe no tráfico

Com o flagrante a equipe seguiu para a DENAR onde foram identificados 25 tabletes retangulares, envoltos em fita prata, aparentando ser droga. Na vistoria para constatação e perícia, foi apurado se tratar de pedaços de madeira embalados no formato de tabletes de droga.

De toda a “encomenda” composta por 25 tabletes, apenas dois deles continham maconha. O que o tráfico em Fortaleza comprou e esperava receber, cerca de 30 quilos de maconha, peso em média dessa quantidade de tabletes, não passou de 1,700 quilo. A droga e seu simulacro ficaram na DENAR e a adolescente foi encaminhada para a CEPOL.

Cão apontou a droga verdadeira.