Trio que enfrentou Choque e SIG atacaria autoridades na Grande Dourados

Trio que enfrentou Choque e SIG atacaria autoridades na Grande Dourados

COMPARTILHAR

No final da noite desta terça-feira (29) policiais do Batalhão de Choque de Campo Grande e SIG da Polícia Civil concluíram os levantamentos sobre a operação em que dois bandidos morreram e um foi preso durante confronto armado. Além de armas, munição, mais de 1,5 quilo de maconha, o trio estava de posse de uma teresa (espécie de corda feita com pano) contendo porções de droga e 9 celulares que seriam arremessados para o interior da Penitenciária de Dourados.

Equipe do Batalhão de Choque foi deslocada para Dourados para em ação conjunta com o policiamento local coibir represálias por parte de integrantes do PCC em protesto contra a Operação Narco Brasil. Após os ataques em Ivinhema, a polícia apurou que a facção faria atentados contra forças policiais de Dourados e região.

Investigações revelaram que três indivíduos a serviço da facção, “Risadinha”, “7.62” e “Matemático”, com funções definidas na organização criminosa seriam responsáveis por ataques contra as forças policiais da cidade de Itaporã. Na terça-feira, policiais do Choque e SIG da Polícia Civil de Dourados iniciaram a operação de captura dos três indivíduos no local onde estavam abrigados, Rua da Prosperidade, Loteamento Guavira no Bairro Jóquei Clube. Na aproximação das equipes três homens saltaram o muro dos fundos da casa.

Durante o cerco e buscas dos fugitivos abriu fogo contra os policiais que revidaram sendo atingido Ayslan Cleismar (21), o “7.62”, que portava uma pistola. Socorrido, ele morreu quando dava entrada no hospital. Outro que estava na casa se embrenhou em uma plantação de milho, Wanderson Douglas (24), o “Risadinha”, também abriu fogo contra os policiais e acabou atingido, sendo socorrido e levado para a UPA onde também morreu.

Dupla tinha rosário de crimes nas costas.

Em seguida o terceiro envolvido, Mateus da Costa (18), o “Matemático”, foi localizado e preso no interior de uma escola nas proximidades da casa onde o trio se abrigava. Entrevistado sobre seu envolvimento com os feridos, “Matemático” afirmou ser integrante do PCC, enfatizando ter a função de apoiar o bando levando as armas nos ataques, dizendo ainda ser um dos autores do roubo a um moto entregador ocorrido recentemente na cidade, onde sua atribuição foi de atrair a vítima facilitando a execução do crime.

Mateus, o “Matemático”, possui várias passagens por tráfico, está preso.

Quanto aos celulares e o entorpecente apreendido, “Matemático” contou que a mando da liderança da facção, iria lançá-los ao interior do Presídio Estadual de Dourados (PED), para isso, esperava um momento oportuno para cumprir as determinações. Mateus foi enquadrado em crimes de tráfico de drogas, posse irregular de arma de fogo (espingarda), além de associação criminosa.