Trump suspende viagens da Europa para os EUA para conter coronavírus

Trump suspende viagens da Europa para os EUA para conter coronavírus

COMPARTILHAR

Agência Brasil – Brasília

O presidente norte-americano, Donald Trump, em pronunciamento na noite de ontem (11), anunciou a suspensão de todas as viagens da Europa para os Estados Unidos durante 30 dias como forma de “proteger os americanos” do coronavírus.

A suspensão passará a valer a partir de sexta-feira (13) à meia-noite, mas não terá validade para o Reino Unido, que continuará tendo voos para os Estados Unidos. As restrições também não têm validade para quem tem residência permanente em território norte-americano. “Estamos respondendo com grande rapidez e profissionalismo à ameaça do coronavírus”, disse Trump.

O presidente destacou que tomou a decisão após consultar autoridades na área de saúde. Ele disse que essas medidas, “fortes, mas necessárias” foram tomadas para proteger a “saúde e o bem-estar de todos os americanos”. Trump considerou que as medidas vão reduzir a ameaça que o coronavírus representa aos norte-americanos de “forma significativa”.

Ele comparou a decisão de suspender os voos da Europa à restrição que os Estados Unidos fizeram de voos vindos da China e do Irã quando a crise do coronavírus começou. Trump criticou a forma como a Europa agiu e disse que o continente deveria ter tomado medidas similares e, com isso, evitado o crescimento do coronavírus no mundo.

Durante o pronunciamento, de mais de nove minutos, Donald Trump também disse que a crise do coronavírus não é financeira e que vai tomar ações de emergência para ajudar os norte-americanos diagnosticados com o vírus, que estejam em quarentena ou que precisem ficar afastados para cuidar de pessoas infectadas.

O presidente também pediu que o Congresso norte-americano aprove reduções fiscais com o intuito de ajudar a combater eventuais perdas econômicas que tenham sido causadas pelo vírus.
Suspensão durará 30 dias; exceção será o Reino Unido.

Brasil

O Ministério da Saúde monitora a fronteira com vários países, entre eles o Paraguai, para evitar a transmissão do covid-19. Mas o país que mais preocupa é a Venezuela.

Paralelamente após a confirmação de dois casos de coronavírus no Distrito Federal e outros 74 em investigação, o governador Ibaneis Rocha decretou a suspensão das aulas em escolas públicas e particulares de Brasília. O decreto foi publicado em edição extra do Diário Oficial do DF na noite desta quarta-feira.

Com a determinação, também ficam proibidas aglomerações como eventos esportivos e shows. A regra, que entra em vigor nesta quinta-feira (12), vale pelos próximos cinco dias. O governador não proibiu a realização de missas e cultos.

O decreto ainda determina que bares e restaurantes deverão organizar suas mesas a distância mínima de dois metros entre elas. As medidas podem ser prorrogadas por mais cinco dias. De acordo com o último boletim médico do HRAN, Hospital Regional da Asa Norte, a paciente com coronavírus internada em isolamento permanece em estado grave, mas com melhora no quadro.

O Congresso Nacional suspendeu, por prazo indeterminado, as sessões solenes, eventos e visitação ao Parlamento. Somente terão acesso à Câmara e ao Senado os congressistas, servidores, profissionais de imprensa e assessores de entidades e órgãos públicos.