Vereador Wellington apoia o movimento “Maio Amarelo”

Vereador Wellington apoia o movimento “Maio Amarelo”

COMPARTILHAR

Com o tema “Nós Somos o Trânsito”, o movimento internacional “Maio Amarelo” inicia suas ações com o intuito de sensibilizar a população sobre a importância da direção responsável, a fim de reduzir os acidentes no trânsito. O vereador Delegado Wellington é solidário a essa causa, visto a importância do tema.

“Nós somos o trânsito, pessoas responsáveis e conscientes fazem a diferença na diminuição de acidentes, o que reflete diretamente na saúde pública, uma vez que acidentes de trânsito são as principais causas de hospitalização no Brasil, o que onera consideravelmente os cofres públicos”, disse o vereador.

O Brasil está entre os 50 países no mundo onde mais se morre no trânsito, segundo dados divulgados pelo seguro obrigatório DPVAT. Conforme a pesquisa, mais de 50 mil pessoas morrem todos os anos em acidentes no país, são 136 mortes por dia ou cinco por hora. Esses dados apontam que 90% dos acidentes têm como fator preponderante as falhas humanas como: imperícia, imprudência e desatenção.

Mato Grosso do Sul teve redução do número de homicídio culposo no trânsito segundo a Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública), em 2016 foram 321 mortes no trânsito com redução em 2017 para 294 mortes; na Capital os números também reduziram no mesmo período, de 79 para 60 mortes. “A colaboração da sociedade é fundamental para que esses números diminuam ainda mais.

Nossa cidade está em constante crescimento e a tendência é aumentar o fluxo de veículos, então é primordial a mudança de comportamento como sair de casa mais cedo, usar cinto de segurança, respeitar a velocidade da via, entre outros”, enfocou o vereador.

Maio Amarelo

O movimento “Maio Amarelo” é uma campanha criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) com o objetivo de chamar atenção da sociedade para o alto índice de acidentes. Mais de 70 países, inclusive o Brasil, que hoje é o quinto país em mortes no trânsito em todo o mundo, assinaram um acordo internacional definindo os anos entre 2011 e 2020 como a década para a redução das mortes e acidentes.