Vereadores apresentam projetos ao executivo de Campo Grande

Vereadores apresentam projetos ao executivo de Campo Grande

COMPARTILHAR

Na última sexta-feira (18), o vereador Delegado Wellington (PSDB) acompanhado de vários parlamentares, apresentou ao prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad, projetos para inclusão de surdos e deficientes auditivos em unidades básicas de saúde, órgão públicos da Capital e em setores privados, como cinema e teatro.

Na reunião os vereadores apresentaram seus respectivos projetos tratando da inclusão e necessidade de interpretes de libras em locais públicos. Na oportunidade, Delegado Wellington explicou a importância do projeto de lei nº 9466/19, de sua autoria que dispõe sobre a obrigatoriedade dos teatros cinemas e congêneres disponibilizarem recursos necessários de acessibilidade aos deficientes auditivos.

De acordo com o parlamentar “o projeto tem por finalidade garantir acessibilidade a população que possui algum tipo de deficiência auditiva, haja vista que os filmes nacionais, ou estrangeiros com classificação infantil, não têm legendas, o que limita o acesso deste púbico”.

Como resultado da reunião, a curto prazo, ficou decido que o legislativo municipal encaminhará um projeto autorizativo para que a prefeitura regulamente uma Central de Apoio e Interpretação em Libras para Unidades de Saúde e Órgãos Públicos de Campo Grande.

Sensível a causa, o prefeito Marquinhos Trad agradeceu a parceria e harmonia entre os poderes em prol da inclusão social. “Temos o compromisso em criar a central de apoio em interpretação em libras para as unidades de saúde e órgão públicos da capital. Assim conseguimos avanças no campo da inclusão, com harmonia entre o executivo e o legislativo”.

Além do prefeito Marquinhos Trad e vereadores, participaram da reunião o presidente da Associação de Famílias, Amigos, Profissionais e Pessoas Surdas, Adriano Gianotto, e os parlamentares Delegado Wellington, Eduardo Romero, João Cesar Matogrosso, Otávio Trad, Betinho, Gilmar da Cruz, Dr. Cury e Junior Longo.