Vítimas de colisão na BR-267, já no aterro do rio Paraná, ainda...

Vítimas de colisão na BR-267, já no aterro do rio Paraná, ainda não identificadas

COMPARTILHAR
Strada foi destroçada com ocupantes dentro. Foto. (Reprodução/Jornal da Nova)

A Polícia Civil deve divulgar ainda esta manhã a identificação das três pessoas mortas no acidente ocorrido na noite de ontem (8) no aterro de acesso à Ponte Hélio Serejo de ligação entre Mato Grosso do Sul e São Paulo, pela BR-267 no município de Bataguassu. A colisão provocou a interdição do tráfego sobre a ponte por várias horas.

O acidente envolveu uma carreta que trafegava no sentido Mato Grosso do Sul/São Paulo e a Fiat Strada ocupada por um casal. As circunstâncias da colisão ainda são desconhecidas e devem ser definidas pela perícia. Com a violência do impacto, a Fiat ficou destruída e o casal morto em meio aos destroços. Já a carreta caiu no rio Paraná com seu condutor preso na cabine.

O motorista chegou a ser resgatado vivo pelo Corpo de Bombeiros de Bataguassu, mas por ter ficado muito tempo submerso, morreu no hospital de Bataguassu. Além das complicações naturais com esse tipo de acidente, a ligação entre os dois estados ficou interrompida por muitas horas, devido a espera de peritos que precisam ser deslocados de Nova Andradina, distante cerca de 130 quilômetros.

As Polícia Rodoviária Federal em MS e Militar Rodoviária de São Paulo se encarregaram da sinalização e interrupção do tráfego. O caso será apurado em inquérito pela Polícia Civil de Bataguassu.