Homem promove terror em casa e morre ao desarmar e ameaçar policiais

Homem promove terror em casa e morre ao desarmar e ameaçar policiais

COMPARTILHAR
Caso registrado na Cepol.

Um homem de 31 aos, identificado pelo prenome Jean, após promover uma série de desordens, ameaça, danos, lesões e por fim avançar contra um policial de quem tomara a arma. O episódio que começou por volta de 1h da madrugada e só terminou às 3h40 desta quinta-feira (30), ocorreu em um apartamento do 3º andar da Rua Betoia, no Jardim Canguru.

Equipe do Batalhão de Choque foi acionada pelo centro de operações – Copom, para atender um caso de violência doméstica em que o autor, evadido do sistema prisional e de posse de uma faca promovia quebra-quebra e ameaças a esposa. No local a moradora recebeu os policiais informando que a filha corria risco de vida e pedia que a salvassem.

No correr os policiais ouviram discussão e um indivíduo gritando “eu vou te matar”, quando arrombaram a porta e viram Jean literalmente perturbado, como se estivesse usado algum estimulante. A vítima foi orientada a permanecer no quarto com as três crianças, para evitar que fossem capturadas. Tentado contato com Jean este não atendia e gritava que ninguém sairia vivo dali e ele não voltaria para a cadeia. Em dado momento passou a cortar a tela da janela, momento em que a mulher tentou conte-lo, mas por segurança foi impedida.

A movimentação tirou a atenção do indivíduo que aproveitando da distração para se apossar da pistola de um dos policiais e apontar para a equipe. No revide da situação, ele acabou atingido e mesmo caído seguia apontando a arma para todos, até ser imobilizado e socorrido para a UPA Universitário, onde morreu. No apartamento foi constatado móveis quebrados, marcas de sangue além da serra e faca que usou para ameaçar a mulher. Já a mãe de Jean contou que ele vinha usando droga com frequência, além de ser corriqueira as ameaças de morte e brigas entre o casal.

A vítima foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros apresentando corte no em um dos pés e escoriações na mão esquerda em razão da luta com Jean. O policial que teve a arma tomada também precisou de atendimento por conta de ferimento na mão. As Polícias Militar e Civil além de Peritos, realizaram os levantamentos de praxe no local. Já o corpo foi encaminhado para o Instituto de Medicina e Odontologia Legal – IMOL.