Preso indígena que matou e queimou casal na aldeia Guassuty

Preso indígena que matou e queimou casal na aldeia Guassuty

COMPARTILHAR

Um indígena da aldeia Guassuty, em Aral Moreira, foi preso na tarde desta segunda-feira (18) por duplo homicídio. O homem, que não teve a identidade divulgada, é acusado de matar Sebastiana, líder religiosa da aldeia, e Rufino, marido dela. Os corpos do casal foram encontrados carbonizados no local onde moravam, na aldeia Guassuty. Segundo relato de outras lideranças da comunidade, a casa de Sebastiana e as vítimas foram consumidas pelo fogo.

Sebastiana era a rezadeira da comunidade Guassuty. A líder religiosa e o marido foram mortos na casa que também era utilizada para realizar rituais espirituais tradicionais da comunidade indígena. Equipe da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (FUNAI), entrou em contato com o Comandante do 4º Batalhão de Polícia Militar, Tenente Coronel Edson Guardiano de Oliveira, solicitando apoio para a captura do autor do homicídio, quando equipes da Polícia Militar e Polícia Civil de Aral Moreira iniciaram as buscas.

Nisso, a liderança indígena da aldeia Guassuty localizou o autor nas imediações da aldeia e o capturou para entregá-lo às autoridades de Aral Moreira. As equipes se deslocaram até a Vila Marques onde receberam o autor das mãos da liderança indígena e levaram para a Delegacia de Aral Moreira, onde segue interrogado na autuação em flagrante.