Empresários de Pedro Juan encaminham proposta de reabertura da fronteira

Empresários de Pedro Juan encaminham proposta de reabertura da fronteira

COMPARTILHAR

Antônio Coca

A Câmara de Indústria, Comércio, Turismo e Serviço de Pedro Juan Caballero que tem no Turismo de Compras um dos principais setores da economia local, encaminhou um documento para o Governo do Paraguai em Assunção, contendo propostas para liberação do intercâmbio de mercadorias na linha de fronteira com Ponta Porã.

A proposta assinada por centenas de empresários e comerciantes, seguiu após uma manifestação por meio de uma carreata pelas principais ruas da capital do Departamento de Amambay.

Conforme informou Victor Hugo Barreto, presidente da Câmara de Indústria, Comércio, Turismo e Serviço de Pedro Juan Caballero, em reportagem ao site pontaporanews, a manifestação foi considerada positiva uma vez que recebeu adesão de diversos empresários da fronteira, tendo adesão do lado brasileiro.

“Encaminhamos um documento com proposta bem definida, visando a permissão de um local estratégico para comercialização dos produtos, com todos os cuidados necessários previstos, e cumprindo com as determinações do Ministério da Saúde do Paraguai, obedecendo a legislação e protocolos sanitários” disse.

Entenda

Até a semana passada as lojas do lado paraguaio da fronteira estavam atendendo os clientes brasileiros através de aplicativos e faziam as entregas na Linha Internacional sem nenhuma sanção por parte dos militares. Por determinação do Ministério da Saúde do Paraguai, temendo contaminação pelo coronavírus a pratica foi proibida aumentando ainda mais o prejuízo dos empresários paraguaios que tem nos brasileiros seus maiores clientes.
Com o fechamento da fronteira estima-se que cerca de 5 mil pessoas já foram demitidas das empresas de Pedro Juan Caballero e de acordo com a Câmara de Indústria, Comércio, Turismo e Serviço daquela cidade centenas de empresas não abrirão mais suas portas.

Mesmo com a manifestação dos empresários, o presidente do Paraguai, Mário Abdo Benitez tem afirmado que a fronteira não será reaberta e ele considera o Brasil uma ameaça para os para os países vizinhos devido ao grande número de casos de coronavírus.