Abandonada, escola de Sidrolândia oferece risco a alunos e funcionários

Abandonada, escola de Sidrolândia oferece risco a alunos e funcionários

COMPARTILHAR
Interior da escola aparenta prédio abandonado (Fotos: Reprodução/Sidrolândianews)

O estado de abandono e principalmente risco para alunos e funcionários da Escola Municipal Monteiro Lobato, localizada no Assentamento Capão Bonito 2, (antiga fazenda Três Elos), em Sidrolândia, está provocando revolta de pais e indignação por parte da população. A situação chegou ao ponto de provocar manifestação inflamada na câmara de vereadores durante sessão nesta terça-feira (19).

De acordo com denúncia levada a vereadores, imprensa e o que mostra imagens das instalações da Monteiro Lobato, o ano letivo teve início na segunda-feira (18), mas a escola está sem condições de receber alunos e mesmo funcionários. Por todo o prédio, na estrutura física e mobiliário, o abandono é visível.

Um aparelho de ar condicionado está praticamente pendurado e pode cair a qualquer momento, pois a caixa de sustentação está sem o fundo. Imagens também mostram instalação sanitária suja e vaso sanitário trincado, o que representa grande risco para os alunos.

Mesas e cadeiras estão além de sujas, quebradas muitas delas com lascas que podem ferir pessoas. Pais também denunciam que o município juntou as turmas, ficando 1º e 2º ano juntos, e assim todos os outros até o 9º ano, sem ventiladores e iluminação suficientes nas salas.

Vereadores

Na sessão da Câmara Municipal desta terça-feira, o tema chamou a atenção e a insatisfação foi apresentada por alguns vereadores, entre os quais os Valdecir Carnevalli (Ganso) e Vilma Felini, ambos PSDB. O Vereador Ganso, disse que esteve na escola, e se deparou com um verdadeiro desmantelo, achou uma total falta de responsabilidade praticada pela Secretária de Educação Alice Rosa Gomes, pois ela no “mínimo” deveria ter visitado a Escola, pois lá a situação está extremamente delicada. Disse ainda que vai denunciar o caso ao Ministério Público, pois até crianças especiais estão sem o tratamento exigido por lei, sem falar na precariedade dos equipamentos.

Já a Vereadora Vilma Felini, se mostrou ainda mais indignada, afirmando na tribuna que encontrou crianças chorando no pátio da escola pela situação, e que no local não tem segurança, e que logo no primeiro dia, a aula já teve que ser suspensa, pois a “bomba do poço estava danificada”.

A vereadora cobrou duramente o Prefeito Marcelo Ascoli e a Secretária de Educação Alice Rosa Gomes, “Cadê a manutenção que tem que ser feita no período de férias? Eu jamais deixaria um filho meu ou qualquer criança estudar “naquele lugar”. Até o fechamento dessa reportagem a prefeitura de Sidrolândia não havia se manifestado sobre o problema.