DOF apreende veículos lotados de cigarro, veneno e pneus do Paraguai

DOF apreende veículos lotados de cigarro, veneno e pneus do Paraguai

COMPARTILHAR
Quase todo dia um "comboio" é apreendido com mercadorias para Campo Grande, só falra descobrir os destinos.

Na ação, foram apreendidos mais de 4.700 pacotes de cigarro, 2.2 quilos de veneno e 20 pneus contrabandeados do Paraguai. Toda a mercadoria ilegal era destinada ao comércio em Campo Grande.

Policiais militares do Departamento de Operações de Fronteira (DOF) apreenderam na tarde deste sábado (1º) três veículos abarrotados com cigarro contrabandeado do Paraguai. Também foram apreendidos veneno, pneus e rádios comunicadores. Duas pessoas foram presas. A ação aconteceu na MS-162 entre os municípios de Dourados e Maracaju.

Os policiais faziam patrulhamento pela rodovia, em decorrência da Operação Hórus, quando visualizaram três veículos em atitude suspeita. Os condutores ao perceberem a presença da viatura fugiram. Após 10 quilômetros de acompanhamento os motoristas abandonaram os carros e correram em meio a uma mata.

Um homem de 29 anos, que seguia em um Kadet branco foi encontrado logo em seguida. No veículo ele transportava 20 pneus, 109 pacotes de cigarros e um rádio comunicador.

O segundo a ser preso foi um homem de 41 anos que seguia num veículo Prisma branco. Ele foi encontrado pelos policiais mais de oito horas depois da tentativa de abordagem, após ligação no disque denúncia da unidade. No veículo que ele conduzia foram encontrados 2.450 pacotes de cigarros, mais de 2 quilos de veneno e um rádio comunicador.

O condutor da Montana não foi localizado pelos policiais. No utilitário, que foi adaptado para o contrabando tendo a carroceria modificada para aumentar a capacidade de carga, foram localizados 2.150 pacotes de cigarros. O veículo que estava com placas de Campo Grande/MS, na verdade era um carro de São Paulo que estava ‘baixado’ pelo DETRAN.

Segundo os presos eles pegaram os materiais em Ponta Porã e levariam para Campo Grande. Todos foram detidos e levados para a Delegacia da Polícia Federal de Dourados e os materiais encaminhados à Receita Federal de Ponta Porã.