Dois aviões roubados neste domingo em Foz do Iguaçu e em cidade...

Dois aviões roubados neste domingo em Foz do Iguaçu e em cidade do Paraguai

COMPARTILHAR
Cessna roubado após pessoas serem rendidas.

Ladrões especializados em furto ou roubo de aeronaves seguem agindo no território brasileiro e interior do Paraguai. Nas últimas 12 horas duas aeronaves de pequeno porte foram levadas de propriedades no interior do Paraguai e na região de Foz do Iguaçu na fronteira com o País vizinho.

Na madrugada deste domingo (17), assaltantes fortemente armados renderam uma família na Estância Hércules, onde funciona uma empresa de paraquedismo localizada na região de Foz do Iguaçu e roubaram o Cessna 207 matrícula PT-DKW. O outro caso, um furto simples, aconteceu na localidade de Loma Plata, de onde desconhecidos furtaram um Cessna 172, retirado do hangar do proprietário.

Ao invadirem a propriedade na região de Foz os quadrilheiros fizeram o caseiro de refém, que foi amarrado, porém ele conseguiu escapar e acionou a polícia. As vítimas acreditam que os bandidos fugiram levando a aeronave para o Paraguai. Antes da fuga, os assaltantes espalharam artefatos parecidos com explosivos na entrada da estância. O esquadrão antibombas de Curitiba foi acionado.

No Paraguai

Também na madrugada deste domingo desconhecidos furtaram o monomotor Cessna 172 matrícula ZP-BBI, (Paraguai), retirado do hangar do proprietário no aeroporto de Loma Plata, na região do Chaco Central. De acordo com o proprietário do avião, Giovanne Andes, o furto foi constatado na manhã de hoje quando pegaria a aeronave. A Polícia Nacional foi acionada e apura o caso.

Em Aquidauana

Paralelamente a polícia ainda não possui pista dos três aviões roubados na madrugada de 6 de setembro no Aeroclube de Aquidauana. No “arrastão” quadrilheiros roubaram o Bonanza matrícula PT-ING, do pecuarista e ex-prefeito de Aquidauana José Henrique Trindade, o Cessna 182 Skylane, PT-DST, do cantor Almir Sate e o também Cessna 182 Skylane, PT-KDI, do pecuarista Zelito Alves Ribeiro e de seu sócio Joel Jacques. Alguns ladrões que participaram do crime apoiando os quadrilheiros estão presos além de identificada a autoria.

172 retirado de hangar no interior paraguaio.