Mega Operação da Polícia Argentina apreende armas e munições que tinham o...

Mega Operação da Polícia Argentina apreende armas e munições que tinham o Brasil como destino

COMPARTILHAR

Cerca de 2.500 armas entre rifles, fuzis, pistolas, munições e explosivos foram apreendidas hoje em várias partes da Argentina depois de alguns meses de investigações. Segundo as autoridades daquele país grande parte deste material bélico viria para Pedro Juan Caballero e depois seria enviado ao Brasil.

Centenas de agentes da Polícia Nacional Argentina e da Direção Geral de Alfandegas estiveram em cerca de 50 endereços e ao menos 20 pessoas foram presas em flagrante em mais de uma dezena estão sendo procuradas. Toda a operação foi coordenada pelo Juiz Criminal Pablo Yadorola que desde outubro do ano passado vinha liderando uma força tarefa que investigava o grupo dedicado ao contrabando de armas e munições.

Segundo o juiz Pablo foram feitas apreensões e prisões na localidade de Martínez, em San Isidro, onde o suposto líder da organização criminosa foi preso; em Córdoba, Bahía Blanca, Tandil e na cidade de Buenos Aires. Houve prisões também nos Estados Unidos e na Espanha. “Temos um arsenal apreendido em Buenos Aires, outro em Río Negro e outro em Córdoba”, disse o magistrado.

Segundo a Ministra de Segurança da Argentina Patricia Bullrich, que recentemente esteve em Pedro Juan Caballero, “todas essas armas vinham desmontadas dos Estados Unidos e da Europa até a Argentina, onde eram montadas e enviadas para Pedro Juan Caballero e depois para o Brasil”.

Diferentes fuzis e rifles.

Nos Estados Unidos foram presas duas pessoas responsáveis pelo esquema de envio das armas entre elas estavam rifles (AK47, britânico Enfield, FAMAS francês, americano M4 e FAL), metralhadoras calibre. 50, armento antiaéreo Oerlikon 20 milimetros, submetralhadoras táticas, pelo menos, 30.000 munições e pistolas. Foram apreendidos também granadas e minas antitanques. “Esta apreensão não foi importante apenas para a Argentina, mas também é importante para reduzir a violência no Paraguai e no Brasil, porque muitas dessas armas que seriam usadas por grandes cartéis brasileiros que comandam o tráfico de drogas e armas” disse Bullrich.

Segundo a ministra, as partes de fuzis e metralhadoras foram despachadas dos Estados Unidos e de alguns países europeus em um navio de bandeira portuguesa e as armas foram montadas na Argentina por pessoas especializadas.

De acordo com o secretário de Segurança, Eugenio Burzaco, o esquema começou a ser desvendado em outubro do ano passado quando em uma “entrega vigiada” em coooperação com com a Divisão de Investigações do Departamento de Segurança Nacional da Embaixada dos Estados Unidos na Argentina, foi apreendido um carregamento com 100 peças de armas de grosso calibre.

As peças foram despachadas de Miame como material esportivo. Logo depois outra caixa com mais peças de material bélico foi apreendida e nas caixas foram colocados rastreadores via satélite que permitiu as autoridades localizar todo o trajeto do material em tempo real. Ainda hoje as autoridades argentinas e norte-americanas devem dar mais informações sobre a operação e a cooperação entre os dois países e a apreensão de todo o material.

Armamento, munições e explosivos para guerra