Procurado pela polícia é preso depois de atentado em Pedro Juan

Procurado pela polícia é preso depois de atentado em Pedro Juan

COMPARTILHAR
Cena de guerra na porta da mansão.

Antônio Coca

Cercas de 20 minutos de disparos foram relatados por moradores da região central de Pedro Juan Caballero na noite desta quinta-feira (24). Tiros de armas automáticas de alto poder de destruição foram dados contra a residência de Éderson Salinas Benitez de 32 anos o Ryguasu que era procurado pela justiça paraguaia acusado de vários crimes.

A casa de alto padrão localizada no bairro Virgem de Caacupé, nas proximidades do Palácio da Justiça e da prefeitura da Capital do Departamento de Amambay recebeu cerca de 300 disparos e milagrosamente Ryguasu e uma brasileira de 28 anos que estava com ele no momento do atentado não ficaram feridos e sobreviveram.
De acordo com a Polícia Nacional, Ryguasu teria respondido ao ataque e feito disparos contra os agressores. Cerca de 10 pessoas teriam participado do atentado e estavam armados com pistolas e fuzis. Em frente a casa foram apreendidos 226 cascas de calibre 7.62 e de bala calibre 9 milímetros.

Momentos depois do tiroteio alguns veículos foram encontrados queimando em uma estrada vicinal na Colônia Republica. Eles teriam sido usados pelos agressores de Ryguasu e da namorada dele. Os peritos da Polícia Nacional encontraram também um telefone celular e uma pistola que teriam sido perdidos por um dos homens do grupo agressor no momento do ataque. Na madrugada desta sexta-feira (25), Ryguasu e a namorada, sob forte esquema de segurança, foram levados por medida de segurança para Assunção. O caso continua em investigação.