Avião da pré-campanha de Marquinhos e Odilon não pode fazer táxi aéreo

Avião da pré-campanha de Marquinhos e Odilon não pode fazer táxi aéreo

COMPARTILHAR

A utilização da aeronave bimotor propriedade de empresa das filhas do empresário José Carlos Lopes, o Zeca Lopes, pelo ex-prefeito Marquinhos Trad e juiz aposentado Odilon de Oliveira, pré-candidatos a governador de MS e senador, pode ter desdobramentos inclusive administrativos por conta de restrições quanto ao avião. É que a princípio, o transporte pode ser enquadrado como clandestino, pois a aeronave é homologada para Serviço Aéreo Privado, sendo impedida de operar como táxi aéreo.

Conforme vídeo, fotos e reportagens no portal Campo Grande News, o juiz Odilon de Oliveira, que em 2017 autorizou operação federal tendo José Carlos Lopes como alvo, agora aposentado, usa aeronave de empresa da família do alvo para fazer pré-campanha ao Senado. Outro usuário da aeronave é o ex-prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad em pré-campanha para governador de Mato Grosso do Sul. Além da operação federal por sonegação, Zeca Lopes foi condenado por estupro.

A aeronave bimotor Hawker Beechcraft, modelo G58 fabricada em 2007, matrícula PR-CIA é cadastrada em nome da empresa JCG Participações e Empreendimentos Ltda, propriedade das filhas de Lopes. De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil – ANAC, a aeronave está em condições normais de operação, é homologada inclusive para voo noturno, mas não pode ser operada como táxi aéreo, infração que pode gerar interdição da aeronave ou punição maior atingido a empresa proprietária.

Ao portal, quando questionado sobre o uso da aeronave, Odilon confirmou ter feito deslocamento em aeronave, mas sem saber quem era o dono. Ele acrescentou que viajou para Corumbá, Dourados e Três Lagoas, mas de carona com o Marquinhos Trad e que se soubesse que seria avião de pessoa que já atuou como juiz, não voaria. Ele concluiu só ter ficado sabendo ao ser procurado pelo jornal. Até o fechamento desta reportagem não havia sido possível contatar a assessoria do ex-prefeito de Campo Grande.