Envolvidos em acidente que matou motociclista negam racha

Envolvidos em acidente que matou motociclista negam racha

COMPARTILHAR
Após atropelamento veículo derrubou poste e atingiu árvore.

Antônio Coca

Três pessoas já identificadas pela polícia e que tiveram envolvimento no acidente ocorrido na noite deste sábado em Rio Brilhante matando o moto entregador Samuel Pompílio de 20 anos, negaram que estivessem disputando racha quando aconteceu o atropelamento. A versão deles contraria o depoimento de testemunhas que disseram que havia uma disputa entre o motorista do Corolla que atingiu a moto e um HB 20 preto.

Eles foram levados para Associação Beneficente de Rio Brilhante, o estado mais grave é de José Raimundo Neves de Jesus de 31 anos, que teve ferimentos nas regiões do tórax e abdominal e precisou ser transferido em vaga zero para o Hospital da Vida em Dourados. Já o motorista Flaviano Macena de Oliveira de 26 teve um ferimento em um dos pés e Samanta Ferreira Vieira de 20 anos, já foi medicada e liberada.

Bafômetro

O motorista do Corolla Flaviano Macena de Oliveira de 26 anos, foi levado por policiais militares para fazer o teste do bafômetro, já que no carro dele foram encontrados vasilhames de bebidas. Ele foi levado para a Polícia Civil, independentemente do resultado de alcoolemia, e será indiciado pela morte de Samuel.

O acidente que vitimou o jovem que também era músico de uma igreja evangélica, aconteceu na avenida prefeito Theofanes na saída para Maracaju e o Corolla só foi parar cerca de 120 metros depois do impacto após derrubar um poste de iluminação e bater contra uma árvore.

Peritos da Polícia Civil e policiais militares estiveram no local e segundo informações um dos braços da vítima foi arrancado e ficou preso ás ferragens do Corolla. Uma pessoa apontada como o motorista do HB20 que supostamente participava do racha já foi investigada e deverá prestar depoimento.

Samuel Pompílio, morto aos 20 anos.